Sexta-feira, 31 de Agosto de 2007

CRISTÓVÃO COLON

Inúmeros historiadores e investigadores, concluem baseados em documentos e factos irrefutáveis que, Cristóvão Colombo, aliás Colon , nasceu em Cuba ( Portugal) e, não em Génova ( Itália), como está oficializado:

Em primeiro, Cristóvão Colon , foi o nome que Salvador Gonçalves Zarco, escolheu para persuadir os Reis Católicos de Espanha , a financiar-lhe a viagem à Rota das Índias, pelo Ocidente, escondendo assim a sua verdadeira identidade. Segundo, este pseudónimo não aparece por acaso, porque Cristóvão está associado a São Cristóvão , que é o protector dos Viajantes ( existe inclusive uma ilha baptizada de São Cristóvão). Cristóvão, que também deriva de Cristo, que propaga a fé, por onde anda, acresce que Cristo, está associado a Salvador ( 1º nome verdadeiro do ilustre navegador).

Colon, porque é a abreviatura de colono e derivado ao símbolo das suas assinaturas"." ( Duas aspas, com dois pontos no meio). Terceiro, Salvador Gonçalves Zarco, está devidamente comprovado, nasceu em Cuba ( Portugal) e, é filho ilegítimo do Duque de Beja e de Isabel Gonçalves Zarco. Quarto, era prática usual na época, os navegadores darem às primeiras terras descobertas, nomes religiosos, no caso dele, foi São Salvador( Bahamas), por coincidência ou talvez não, deriva do seu primeiro nome verdadeiro, a segunda baptizou-a de Cuba ( Terra Natal) e, seguidamente Hispaniola ( Haiti e República Dominicana), porque estava ao serviço da Coroa Espanhola. Quinto, a "paixão" pelos mares, estava no sangue da família Zarco, nomeadamente em, João Gonçalves Zarco, descobridor de Porto Santo ( 1418), com Tristão Vaz Teixeira e da Ilha da Madeira ( 1419), com o sogro de "Cristóvão Colon", Bartolomeu Perestrelo.

Por fim, em sexto, existem ilhas nas Caraíbas, com referência a Cuba ( além da mencionada Cuba; São Vicente, na época existia a Capela de São Vicente, da então aldeia de Cuba). Posteriormente ( Sec-XVI), foi edificada a actual Igreja Matriz de São Vicente.

São coincidências ( pseudónimo, nome das ilhas, família nobre e ligada ao mar, habitou e casou em Porto Santo, ilha que fica na Rota das Índias pelo Ocidente), mais do que suficientes, para estarmos em presença de Salvador Gonçalves Zarco e, consequentemente do português Cristóvão Colon.

Cristóvão Colon, morreu em Valladolid ( Espanha) em 1506, tendo os seus ossos sido transladados, para Sevilha em 1509, contudo em 1544, foram para a Catedral de São Domingos, na época colónia espanhola, satisfazendo a pretensão testamental do prestigiado navegador.

A odisseia, das ossadas não ficaria por aqui, porque em 1795, os espanhois tiveram de deixar São Domingos, tendo os ossos sido tranferidos para Cuba ( Havana), para em 1898, depois da independência daquela ilha, sido depositados na Catedral de Sevilha.

A juntar a estes episódios rocambolescos, destaca-se o facto de em 1877, os dominicanos, ao reconstruírem a Catedral de São Domingos, encontraram um pequeno túmulo, com ossos e intitulado " Almirante Cristóvão Colon".

Existem na Madeira e nos Açores, famílias Zarco, descendentes directos de João Gonçalves Zarco e, consequentemente da mãe ( Isabel Gonçalves Zarco) de Cristóvão Colon, disponíveis para darem uma amostra do seu cabelo aos cientistas, para analisar o seu ADN e, para comparar os seus resultados nas ossadas do navegador, se efectivamente forem as suas suas.

 

José Cabaça

Jornal do Concelho às 17:15

|

Investigador

Pesquisar